Corredores de rua...das ruas de Blumenau

Sim, está um calor africano. Aliás, estou começando a achar que na África as pessoas dizem: nossa, que calor, parece Blumenau!
Nunca a esteira foi tão fofa e simpática, lá no meio do ar condicionado, como nesses dias.
O problema é que as provas não são realizadas na esteira, e a maioria delas não é realizada sob a temperatura agradável de 19° a 23°. Então, quem quer participar de provas, tem que treinar na rua (sim, Tiago), não só para se acostumar com a temperatura, mas com o "piso", vento, atrito, resistência do ar, etc.
Quando eu li no facebook um dia desses que meu iron coach Everton correu  16km nesse calorão, achei ele suuuuuper queniano e corajoso. E só. Não deu inveja nem da disposição dele. A linda Michele correu 12km, esta semana, num dia de calor umido (vento não é algo conhecido aqui no verão), dureza.
Mas a Volta à Ilha vem aí, e normalmente faz calor no dia (ano passado choveu, delícia, mas foi exceção), posso ter que correr meio dia, tudo pode acontecer.
De manhã eu já acho calor desde as 7h, e antes disso não consigo ir, tenho o meu filho, movimentação da casa, e muita preguiça. Mas já estou voltando aos planos de  correr pelas 08h, 09h, para retomar o costume de correr no sol.
Em um sabado de manhã, minha planilha era de 12km, tive uma "boa ideia", como diz meu pequeno: fui correndo de casa até a academia Formula, deram 6km como morro e terreno variado (bota variado nisso), e lá terminei, no fresquinho...o melhor era a meta, que dava uma animada: faltam 4km para o ar condicionado...faltam 3km...faltam 2km...falta 1km...e finalmente apenas a subida do estacionamento me separava do ar condicionado...loooonga subida...
Muito bem, correr de manhã, solzinho, mais fácil ficar ligada no caminho.
Na quarta-feira de cinzas, no entanto, recem retomando os treinos serios, cheia de culpa no coração, cheguei em Blumenau, calcei os tenis e fui correr na rua, em torno das 19h45min. Calor, sim, mas sem sol é outra coisa.
Saí da minha casa, rua do tipo treino em subidas, e fui em direção à rua Benjamin Constant, a rua principal do bairro.
Que coisa horrível! O desrespeito ao pedestre beira o deboche!
Quando o Arthur era bebê, eu preferia colocar o carrinho no carro e ir até o parque  com ele, desmonta-lo e passear lá, porque era inviável passear nas redondezas da minha casa com o carrinho.
Trechos sem calçadas, muitos, e calçadas quebradas, com desniveis, calçadas só de cimento, com marcas de pisadas, sem acabamento, um horror.
Cheguei à conclusão de que dono de terreno sem edificação, em Blumenau, não precisa fazer calçada. Só pode ser isso para explicar a situação caótica, pelo menos onde eu passo.
Calçada é urbanização, e não combina com Blumenau esse descaso. Parecem duas cidades, a do centro, da rua Quinze, toda bonitinha, parecendo mini Europa, e a dos bairros, para o cidadão comum.
Mas enfim, caminhar, de dia, ainda é mais fácil, voce desvia do que é ruim, foi o que fiz correndo de manhã.
E correr à noite? Ah,sim, na rua Benjamin há postes com a lampada queimada, ou só apagados mesmo, então voce corre no escuro na calçada esburacada.
É muito tenso correr assim.
Quando eu vou pela rua Bahia, há vários trechos sem calçada, e sou obrigada a correr na rua, vejo inúmeros pedestres, pessoas com idade avançada, tendo que se arriscar.
Fui correr sem música, porque sozinha, à noite, acho mais prudente. Deu nisso, fiquei prestando atenção e pensando. Esse negocio de loira pensar...
E imaginei a vida de um cadeirante. Depois que ele salta do ônibus que está preparado para ele, como ele chega até o seu destino? sinceramente, não sei.
Onde há obras (ou seja, por tudo), então, parece que a placa avisando das obras exime de qualquer traço de civilidade mínima. É barro, areia, buraco.
Não sei como não torci o pé nem tropecei, mas eu estava praticando esporte, alguns até vão dizer que eu podia ter ido para o parque Ramiro, e é verdade mesmo, podia ficar lá como um ramster na rodinha, dando 10 voltas na pista...mas e quem só quer ir de um lugar a outro, a pé?
Enfim, fui até a rua Teodoro (só na frente da  Unimed a calçada é boa),  e subi pelo lado em que estava, o que se mostrou inviável a partir de certo trecho, atravessei e fui pela ciclovia até o posto de gasolina, e voltei.
Foram 8km, mas pareceram muitos mais, não só pelos aclives do percurso (o trecho tem poucas áreas planas), mas pela tensão de correr olhando para o chão. A única rua com as calçadas bem arrumadinhas é a minha, felizmente. Parabéns aos vizinhos.
Ao final, me dei conta que para correr em Blumenau, que é uma boa cidade,  na rua, voce tem pouquíssimas opções seguras em várias acepções da palavra.
No anel viário não tenho coragem de ir à noite, e mesmo de dia, tem que ser bem cedinho, por causa do calor aumentado pelos caminhões que passam e a falta de sombra, e de preferência acompanhada. Ah, sim, cuidado com as calçadas que despencaram, voce pode ir direto para o rio.
Buraco quente: adoro, é o atalho para a BR 470, mas sozinha também não é seguro. Tem poucos trechos com calçada, mas o asfalto é bom, tem subidas médias,  tem que ir no final de semana, com pouco movimento.
Rua Hermann Huscher, graças à ciclovia que temos que invadir (sorry, ciclistas), é ótima, apesar da pouca extensão (em torno de 4km da esquina da Alameda com a Rua Sete até o trevo do Zendron), e ainda é mais fresquinha, por conta das árvores e proximidade do rio.
E é isso. Rua Amazonas eu já tentei, muita poluição e um calorão, o mesmo acontecendo na rua Sete e na Rua São Paulo, salvo nos finais de semana.
Correr na Beira Rio poderia ser bom, mas aquele calçamento é um perigo (é, é bonitinho...), e o trecho é curto.
Em resumo, voce tem que ser muito criativo para correr um percurso razoável em Blumenau em segurança e com relativo conforto.
Agora temos um prefeito jovem e que corre. Eu já encontrei com ele em provas, a última foi há duas semanas,  e sei que ele preza pelos exercícios físicos.
Fica o convite para  dar uma voltinha a pé, aqui, pela Vila Nova, Escola Agrícola, e tenho certeza de que ele vai se sensibilizar.
E como não combina comigo só reclamar, bora para a esteira fazer um treininho de tiros!!!




Comentários

  1. Ou pelo menos poderia ter um parque de verdade, nos moldes do Jardim Botânico em Curitiba... mas se não há mais espaço para nada em Blumenau quem dirá um "parque" neste nível... O jeito é continuar treinando "corrida de obstáculos" nas ruas da cidade... rsrsrs

    Abs

    Fábio

    ResponderExcluir
  2. Boa reflexão Andrea,
    Sinto falta de treinar na rua... mas nas condições que você mesmo apontou, não tenho ânimo.
    Bons treinos,
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Exatamente como a Andrea falou, a dificuldade não é so para quem corre, mas também para pedestres e principalmente cadeirantes...realmente não sei como eles se viram. Ah e o exemplo de nao levar bebê passear de carrinho é ótimo. Isto também acontecia comigo.
    Bj,

    Sandra

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!

O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Do que você está sentindo falta?