Casais correm...ou não

Já vou logo avisando, para quem ainda não sabe, que não sou uma pessoa fofa. 
Então, não acho linnndo nem faço "óin" quando vejo casais na linha de chegada de mãos dadas, um atrasando a corrida do outro. Acho mesmo isso, que correr de mãos dadas é desconfortável e inútil.
Vou dizer o que me emociona: é o cara (sim, o cara, não a menina, a mulher, e sim o cara) acordar junto com a namorada/esposa/mina/gata, no dia da prova de corrida que SÓ ELA vai fazer, tomar café com ela, ir junto na largada, e estar lá na chegada (pode fazer o que quiser no interim, inclusive tomar cerveja e olhar as meninas bonitas correndo). E sem cara feia. Só na parceria.
E digo o cara porque a gente vê mais meninas fazendo isso pelos seus homens do que o contrário...infelizmente. 
Para mim,  feliz não é a mulher que corre com o parceiro, é a mulher que corre tendo o apoio do parceiro. 
E é uma pena que nem sempre tenha,  porque se a mulher for correr com um bom clima para isso, com apoio, ela vai voltar do treino mais feliz, mais gostosa, mais realizada, e mais magra (não está, mas ela vai se sentir assim). E todo mundo ganha com isso.
Correr só porque o outro corre também não é um bom motivo, mas eu sou uma pessoa aristotélica, e não platônica, então o importante é correr, o motivo...cada um com o seu, e depois que a pessoa perceber os benefícios, terá seus próprios motivos.
Os dois correrem é ótimo, sinceramente. Porque conseguem entender dores, cansaços, treinos, temores um do outro. Além disso, ambos saberão que os tênis não são iguais, que existem pisadas e provas diferentes, com necessidades diferentes. Principalmente, a pessoa não vai te olhar com cara de E.T quando voce acordar as seis da manhã de um domingo para correr nem fazer cara de nojo para o whey. 
Nem sempre isso é possível, há quem não consiga fazer o outro gostar de correr, ou com que corra mesmo sem gostar. Em compensação, há quem tenha se conhecido por causa da corrida, em grupo de corrida (vejam o blog loverunning), ou em uma prova, e isso já é um ótimo começo. Os casais que correm juntos têm um certo charme, eu reconheço, e ir correr juntos é ótimo, desde que um respeite o ritmo do outro, e ninguém se violente para acompanhar o outro (correndo mais rápido ou mais devagar). Em resumo, não vale ficar magoadinho porque o outro corre diferente.
Por isso, embora eu adore o fato de que meu amor agora também corre, tendo consciência de ter incentivado, mas ele começou a correr porque em algum momento concluiu que seria bom para ele. Ou seja, com toda a razão do mundo, ele corre porque tem benefícios com isso, para a saúde, para a mente, para a vida.E isso me deixa muito feliz.
Para mim, o mais legal é  voce cruzar a linha de chegada e o teu amor estar lá, te esperando com sorriso no rosto e pronto para te dizer que voce foi suuuuper bem (mesmo que não tenha sido) e que está linda (o que é impossível depois de uma prova, mas é tão simpático...). Isso mostra carinho, cuidado, e isso é por nós.
Então, se teu amor não corre, não fique frustrada/o. Se te incentiva e reconhece o bem que te faz  correr, como isso te deixa feliz e ele ganha com isso...você é privilegiada, como eu.
E quem está sozinho, bora treinar, vai conhecer gente bem mais interessante do que na balada!!










Comentários

  1. Andrea, aqui em casa infelizmente só eu corro. Meu marido é do time da arte suave (ele é faixa marrom do jiu-jitsu). Mas, posso me considerar uma felizarda, ele vai em todas as minhas provas, carregando as minhas tralhas, marca meu tempo, bate fotos e sorri toda vez que chego descabelada. Eu o amo ainda mais por isso. ;)
    Independente do esporte que cada um tenha, o importante é ter a compreensão e parceria. NO dia dos campeonatos dele, sou eu quem fica lá de tiete batendo fotos e fazendo videos.
    Adorei o post!
    super beijo
    Helena
    correndodebemcomavida.blogspot.com
    @Correndodebem

    ResponderExcluir
  2. Oi Andrea,
    Adorei o post, apesar de também achar legal o casal confraternizar na chegada, desde que as mãos dadas seja somente a alguns metros heheh
    Meu esposo também não corre, mas já teve seus dias de atletas quando mais jovem, hj ele me acompanha quando dá, e quando não dá é porque ficou com as filhas (12 e 2 anos) que já é um baita apoio. Na hora de falar sobre meus resultados já é mais objetivo, acho que pelo fato de ser professor de Educação Física, as vezes me chateia, mas ele sempre fala a pura verdade, o bom é que quando elogia é porque fui bem de verdade e aí me sinto motivada e feliz.
    Um beijo.
    correndoerenascendo.blogstop.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!

O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Do que você está sentindo falta?