Iron people e nós

Domingo passado teve Ironman em Jurerê, Floripa. Para quem não sabe (eu não sabia muito bem até ano passado), é uma prova de triathlon, com 3.800 metros de natação no mar, 180km de ciclismo, e 42,195km de corrida. Sim, isso tudo. A gente fala que fazer uma maratona é muito, né? imagina depois de nadar e pedalar isso tudo?! Coisa de maluco? Sim, de muuuitos malucos.
Ano passado fui assistir a parte final da corrida, a chegada, em uma arena com arquibancada. É muito emocionante ver a coroação do esforço, do preparo, da dedicação de meses, e em alguns casos, anos, que permitem que o sujeito esteja ali. As famílias passando junto no portal de chegada, não só esposas, maridos e filhos, mas mães, pais, avós, todo mundo vibrando junto. Lindo mesmo.
O meu iron coach Everton fez ano passado e de novo este ano, e eu acompanhei a rotina de treinos dele.
E realmente, não é para qualquer um. Precisa treinar muito, e não só treinar, mas ter uma estrutura que permita o treino. Equipamentos (do ciclismo, por exemplo, são caríssimos, baita investimento), roupas adequadas, suplementação, disciplina, determinação, e muita compreensão de quem está perto. Por exemplo, dormir pouco não é uma opção, o cara tem que estar descansado para treinar bem. Ausências no final de semana, quando os treinos longos são possíveis...Dá uma certeza de que não é para mim...pelo menos não tão cedo.
Eu olhava, e, embora pareça que não tem nada a ver, lembrava do momento final da escrita da minha dissertação de mestrado, em que eu parecia um zumbi, e só tomava banho e comia para me manter viva e limpa, mas não estava nessa órbita. A mesma coisa quando estava fazendo concurso, estudando para a prova de sentença, com cara de louca. Só que no caso do iron, é o corpo que está sendo submetido de forma predominante. Mas é a mente que exerce uma força poderosa para o atleta se lembrar dos motivos de estar ali, do treino, e nunca pensar que não é capaz.
O Everton é um ótimo exemplo a ser seguido, porque ele treina pesado, se dedica, mas não reclama de cansaço,  não se acaba, não perde casamentos e aniversários, só não se passa nas ocasiões festivas, porque renúncias são necessárias em nome de  algo maior. Não da para chutar o balde e beber todas de quinta a domingo e achar que o treino vai render...
E depois de tudo, de 11 horas e quase quarenta minutos, ele chega bem, inteiro, contente, com cara de festa, com a Amanda, super iron wife, ao lado.
Tem gente que chega tão acabado, tão sofrido, mancando, que eu não consigo ver graça, ainda mais quando é atleta amador, que não ganha para aquilo, ou seja, é pelo prazer da conquista.
A Dani, minha colega master blaster top, fez de novo, e agora se superou totalmente, ela cresce na adversidade,  e mesmo com o joelho estourado fez um tempo maravilhoso e papou o 2º lugar da categoria.
É o máximo mesmo, e quem completa merece o título de ironman e ganhar nossa admiração.
Mas é o objetivo de cada um, certo? nem todos sonham com isso, ou gostam.
E aí é que está. O  ponto onde quero chegar é o da conquista.
Assim como admiro o Astério, um menino que vai muito longe no triathlon e que fez o primeiro iron dele em 10h15', também admiro demais a pessoa que finalmente decide tirar o traseiro do sofá, parar de ver a novela e reclamar que está gorda, que não conhece gente interessante, que não tem disposição, e começar a correr, e  ter coragem de fazer sua primeira prova de 5km. E terminar, mesmo que em 45 minutos.
Feliz, cansada, acabada, como termina todo mundo em dia de prova.
Plenamente realizada por sua conquista, com uma medalha que vai sempre lembrar que consegue.
Na próxima, vai tentar baixar o tempo, ou se sentir menos cansada, ou  aumentar o trajeto. Não importa.
O importante é ter coragem e atitude de se movimentar, de se mexer, de sair da inércia. E conquistar um objetivo.
Imagina quem tem algum problema físico, ou adquire uma lesão? Ter um objetivo é importantíssimo para seguir em frente, e a conquista vem, ainda que lentamente.
A Clenir Bolt, digo, Bof, ano passado se lesionou feio (jogando futebol, tsc tsc), e parecia que não ia  correr por muuuito tempo, a perspectiva não era boa. Daí no domingo passado teve Blumenau 10k, e ela fez os 5km em 21 minutos, ganhando a prova. Fiquei  emocionada com um retorno tão triunfal aos pódios. Ela é minha inspiração, e não só minha. Corre muito, é top, e gosta de correr. E trabalha, tem tres filhos, marido, uma pessoa cheia de afazeres, que tem que fazer varios sacrifícios para poder treinar. Fizemos a Volta à Ilha juntas, e ela sempre se supera. Me da a certeza de que a Tita e a Giane vão voltar fortes.
A  prova Blumenau 10k é muito gostosa, a gente encontra todo mundo conhecido, este ano a camiseta estava bem melhor, oba, e a sacolinha era ótima também. 
Tem possibilidade de fazer 5km, então é ótima para iniciantes. Sai da frente do Shopping, percurso conhecido para quem é da cidade, predominantemente plano, com alguns aclives, vários postos de hidratação com água, e frutas no final. 
Premiação por categoria, que valorizo, não só por mim, mas pelo pessoal mais veterano que ainda corre muito, mas que tem dificuldade (natural)  de acompanhar os mais jovens. Além disso, muito mais gente sai feliz da premiação!
A nossa equipe inaugurou a tenda patrocinada pela Fórmula, com frutas, isotônico, foi muito legal, se sentir pertencendo a um grupo também faz parte de uma corrida agradável. 
Falando em objetivo, cheguei perto do meu...Fiz tudo certo, dormi o suficiente, comi direitinho como Nadia manda, hidratei, suplementei como dr. Fabio mandou, peguei água em todos os postos, então nem levei nada comigo para não atrapalhar,  e não posso reclamar. Mantive um bom pace e fui a primeira da minha categoria. Meu tempo foi um minuto a mais do que fiz ano passado, mas ainda assim foi bom, e não chegou a hora de me matar em uma prova. Nessa, em especial, não adiantaria muito para efeitos de premiação, porque as meninas estavam fortes, a primeira colocada fez em 40', show de bola.
Bom mesmo foi estar lá com a turma, Pericles correu bem os 5km, Monica estreando nas provas, e curtindo, clima de prova  é tudo de bom, o astral das pessoas, todos em função do esporte, da endorfina...que delícia que é. Cada um buscando sua conquista pessoal, e todas super validas.
Agora vamos treinar que semana que vem tem meia maratona de Floripa, eba!!!!




Comentários

  1. Olá Andrea,

    O pessoal do Iron esta de parabéns, são poucos que conseguem.
    Parabéns pelo seu resultado na prova! O nível estava bem alto.

    Bons treinos para a Meia de Floripa.

    Abraços.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!

O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Do que você está sentindo falta?