Dez Milhas!!

Quando eu corro meia maratona (o que não acontece muitas vezes), é lá pelo  km 16 que eu fico não exatamente cansada, mas me questionando, achando que 21km é muito (e para muitas pessoas nem é), que eu não precisava me meter nessa...dali em diante normalmente a tática é: não pensar, só correr.
Então, quando vejo provas de dez milhas, que são 16km e uns metros, fico super empolgada, mas aqui em Santa Catarina, que eu saiba, nunca tem. No ano retrasado, teve aquela que largava e chegava no Hotel Parador, linda prova,  em trilhas e praias.
Fui em busca do circuito dez milhas, tem da Mizuno e tem da O2. Por questões de data, consegui encaixar a da O2 de São Paulo com uma viagem em família de micro férias.
Demorou muito para aparecer no site o local de retirada dos kits e o percurso da prova. Para quem sai de outro estado para fazer, sempre dá uma certa aflição. 
A retirada dos kits era na loja Mundo Corrida, que estava toda em promoção, praticamente uma feira. Ótimo.
Essa prova tinha 10milhas, 5milhas e 2,5 milhas, super democrática.
A largada foi marcada para sete e meia de domingo passado. Pareceu cedo, mas depois descobri que era o melhor horário. 
Estava em São Paulo com Péricles e Arthur, e a viagem era voltada para ele, então no sábado anterior fiquei bem cansada: aeroporto, voo, passeio com o pequeno, colo, muito colo. Ficamos na casa de um casal de amigos, bem pertinho da USP, e a prova era na cidade universitária.
Domingo fomos para lá: multidão, mar de gente, típico das provas da O2 e das cidades maiores. Faz a Track and Field de Floripa parecer tranquila e vazia.
Dia lindo, céu limpíssimo azul, e no horário de saída de casa, temperatura agradavel, mas prometia calor.
Sistema à moda antiga, que sinceramente ainda acho o melhor: pega camiseta e número no sábado, e chip no domingo, tudo organizado, fila de acordo com o número, em dois minutos já estava na mão.
A lástima eram os banheiros. São os químicos, a gente tem que se acostumar. Acho que vou comprar aquele equipamento para mulher fazer xixi em pé, porque é muito tenso se concentrar para não encostar em nada. Uma fila ridícula para os banheiros, que não eram muitos, e sem qualquer organização. E prende a respiração antes de entrar.
Suplementada, alongada e chipada, fui para a entrada do meu pelotão. Eles só abrem bem próximo à largada, para não ficar a muvuca, e há controle de entrada nos pelotões. Uhu!!! Para quem não sabe, os pelotões são conforme o pace, ou tempo por km percorrido. No caso da O2, eles verificam os tempos de provas anteriores para e enquadrar no pelotão. Quem nunca fez prova O2, vai para o pelotão branco, o último.
Eu estava no azul, o seguinte ao quênia, muito bom.Resultado de dedicação em outras provas.
Engraçado que naqueles minutos que antecedem a largada, eu estava lá, no meio de uma multidão, e ao mesmo tempo me sentindo muito só, porque não tinha ninguém conhecido, e eu sabia que correria sozinha. Ainda bem que Péricles foi me levar na largada.
Largada rigorosamente no horário, e lá fui eu. Logo no primeiro km, subia uma ponte, descia, e subia a mesma ponte de volta. Ruim. Larguei rápido porque estava em pelotão da frente, e só nessas subidas achei que ia quebrar. Não concentrei o suficiente, a largada tem que ser lenta, ainda mais nessas provas, controle é importante, não dá para se deixar levar pela empolgação, porque são 16km!
Dali em diante, plano. E sol. Muuuuito sol e calor na cabeça. O bom é que a cidade universitária e arborizada, ou seja, varios trechos com sombras gostosas.
Hidratação farta, mas fez falta uma musiquinha...deu problema e acabei não usando o ipod, e sei la porque achei que teria música no caminho. Podia ter, já que o percurso era cheio de idas e voltas. Sim, a gente entrava numa rua, ia até o final dela, e voltava. Isso não curti.
Lá pelo km10, nova subida. Na verdade, um aclive, de mais ou menos um quilômetro. Dureza, é daquelas inclinações que parecem leves no início, mas como não termina nunca, vai cansando bem. E nisso já eram quase oito e meia, com calor de onze da manhã (para a exagerada aqui, pelo menos).
Engraçado que durante o percurso havia os orientadores, indicando o caminho e incentivando. Todos gordinhos. Eles incentivam e guiam, mas não correm.
Os percursos das distâncias eram diferentes, e isso foi ótimo. Só no último km que todos se encontravam, e havia muita gente andando, tinha que desviar.
Fui com a intenção de completar a prova em menos de 1h30min, porque não conhecia o percurso e não queria me matar, só sentir a distância e curtir a prova. E curti mesmo, gostei do caminho (apesar da repetição), embora eu tenha demorado para acertar a respiração e o pace por conta do início.
E vi que não era um bom dia para mim. Dia anterior cansativo, tinha comido carne vermelha no almoço, pesou. Semana de treino forte, mas o sábado foi de esbórnia. Tudo tem seu preço. Não me arrependo porque foi dia de diversão com meu filho, e essa era uma viagem de passeio com corrida incluída, e não o contrário. Só que na metade achei que nem daria para fazer o tempo que queria.
Mas deu. Nos ultimos km eu me animei de novo, porque eram só 16km, e não 21km!!! Com isso na cabeça, consegui manter um pace melhor e nos últimos 4km mirei e fui.
Terminei em 1h26min, está ótimo para a primeira prova de dez milhas. E gostei muito da distância, como imaginava, vou querer fazer outra dessas.
E para não deixar de falar da nossa campanha, agradeço muitíssimo à Regina e à TV Galega pelo espaço que deram para nós na terça feira, no programa Galega na Sociedade. Fomos eu e o Maicon da Wellness, e foi excelente poder falar do que estamos fazendo. De manhã tambem fui na radio CBN, com o João da Fundação, e tivemos um baita espaço. Obrigada à Ana Ruschel e à Oficina das Palavras, que estão acreditando no projeto de verdade!
Pretendo ir a Floripa para receber doações ou conseguir um posto de coleta, aviso aqui quando der certo.
Sabe o que falta? a sua doação!!! Tão simples, tantos postos de coleta...vamos lá!!
Final de semana de chuva por toda a parte. Partiu esteira!


Comentários

  1. Parabéns Guerreira!! Nada como superar nossos próprios limites!! Bons treinos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, fazer algo diferente é sempre desafiador! obrigada pela visita. bjs

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!

O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Do que você está sentindo falta?