Caindo na real

Quando eu fiz travessia (especialmente a segunda, que um dia eu conto como foi...), o que eu mais gostei foi também o que mais me apavorou: a sensação de perda do controle.
Quando a gente vai participar de uma prova de corrida no asfalto, a gente treina, programa, planeja a prova, o pace de largada, como vai desenvolver, dar aquele sprint, hidratação, etc. E salvo se no dia der uma zica, dor, noite mal dormida,  "caso fortuito ou força maior", normalmente se consegue terminar a prova conforme o planejado. E, se quebrar, sempre pode andar, parar, sentar, esperar...
No mar não tem nada disso. A gente planeja nadar peito só a cada 300m, ou olhar para a frente a cada 20 braçadas, nadar 2000 metros em 50 minutos e na hora depende...do mar. E isso dá um apavoro danado, porque é a sensação de impotência. E aí você está no meio do mar, a opção de parar não existe, descansar significa nadar de outro jeito, não dá para entrar em pânico. Mas também não dá para desistir.
Pois bem, eu também sinto  isso nas provas de aventura/trilha/loucura total. A diferença é que o sentimento não é o que eu mais gosto, é só o que mais me assusta. 
Mas ainda assim eu faço. Teimosa? não. É a necessidade que tenho de me ver colocada no meu devido lugar, de vez em quando. 
Correndo no asfalto, que é o que mais gosto e o que definitivamente faço melhor (o que não quer dizer tanto assim), já tive muitas conquistas, pessoais e gerais, com um número de pódios que nem eu acredito que consegui. E isso pode me deixar meio, vamos dizer, confiante demais, o que pode me fazer relaxar quanto a treinos, me superestimando, subestimando a concorrência, sei lá. Não chegou a acontecer, eu só tenho receio que aconteça, então me previno.
Como? me inscrevendo no Mountain Do, por exemplo.
Porque aí eu caio na real. E a real é a seguinte: eu sou horrível!!!
Pausa sobre o assunto "eu sou ruim de trilha" para falar da prova em questão.
Gente, Mountain Do é tudo de bom (louca né?). 
Eu fui buscar os kits de várias pessoas, e fui super bem atendida pelo pessoal. Me ajudaram a conferir e levaram até o carro. Tudo no  seu lugar, e com flexibilidade, tentando facilitar a vida do povo.
O kit é aquele sonho de sempre: a melhor camiseta, azul, linda, um boné bom, garrafinha gatorade (enorme), barrinha e a mochila (não sacolinha). Na chegada, ganha ainda a toalha. Na inscrição está incluído o almoço de premiação do domingo.
A largada super organizada, primeiro 42km e 22km, e 20 minutos depois, largada da "corrida Comemorativa", a minha, de 8km. Comemorativa? do que? 
É, nada é perfeito. A prova é de trilha e praia do mesmo jeito, só é mais curta. Pode chamar de rústica, de percurso alternativo, mas chamar de comemorativa dá a impressão de que vai ser não no  mato nem no asfalto, mas num tapete vermelho, plano...e não é. 
Quero dizer com isso que acho um pouco desrespeitoso com quem vai correr a menor distância. Claro, óbvio que há muito mais dificuldade em fazer 42km e 22km. Ninguém disse que não. Mas, por outro lado, quem faz 42km e 22km está (em tese) devidamente preparado para tanto. E quem faz 8km, muitas vezes está fazendo um esforço enorme nessa prova, que pode ser a sua primeira de aventura, de trilha, de praia. 
Sempre digo que exijo respeito às pequenas distâncias, porque corredor é corredor, não importa se de 5km ou ultra. Cada um na sua. E todos se esforçando.
E correr curta distância normalmente vem acompanhado da exigência da velocidade. Ninguém cobra pace baixinho de quem faz longa distância. De quem faz curta, sempre.
Então fica a dica. No clube Bela Vista, de Gaspar, a prova de 6km é chamada Prova de Inverno. Acho super elegante. 
Ainda sobre a organização padrão Mountain Do, tenho que falar do pós-prova. Toalhinha, e na tenda, quanto mimo: além das tradicionais barrinhas, salada de frutas, gatorade (à vontade, e não uma garrafinha regulada para cada), sucos batidos, espetinhos de frutas, uma graça, delícia, e açaí! Além disso, massagistas, vários. Parabéns, Kiko, por mais essa.
Sobre a prova em si, voltemos à minha pessoa.
Depois de ter chovido a semana toda, a noite de sexta para sábado foi de chuva a cântaros em Floripa. Minha mãe disse o tradicional:"tem certeza de que vai ter corrida depois dessa chuva?".
E realmente, quando o organizador da prova está no início da trilha para dizer para a gente tomar cuidado, é porque a coisa está feia.
Então, saía do Costão do Santinho, tudo lindo como sempre, até abriu um sol tímido (muito tímido, mas agora qualquer luzinha amarela já me alegra), descia a rua, corria aproximadamente 2km na praia, e começava a trilha.
A subida, para mim, é sempre melhor, tenho mais facilidade, até por conta das minhas pernas longas que me auxiliam, e porque tenho um mantra de subida. Estava difícil, mas com tênis de trilha, dava tudo certo. Aliás, sem tenis de trilha era suicídio. E chegar em cima do morro é sempre lindo quando tem praia por perto, adoro.
Mas a descida...ai.
Como sempre, todos que eu ultrapassei na subida me pegaram na descida. Porque eu sou medrosa. Tenho medo de cair, de me esfolar, de ir rolando, de me machucar, de pagar mico...de tudo. Então eu vou devagar, beeem devagar. E é sempre no meio da descida que eu penso: "por que eu vim mesmo?", e lembro de como eu gosto de correr, e aquilo está muuuito longe do que é correr.
Tinha um trecho em que todos desciam próximos, o que conseguia ajudava o seguinte, tinha que segurar nos galhos de árvores, um lodo, uma lama...e assim foi até terminar o interminável. Aproximadamente 4km. Ai, que linda a Giovana que diz "quanto pior, melhor".
E então, os 2km finais, nos quais eu parecia uma maluca correndo, ultrapassando quem dava. Na subida final, asfalto, ultrapassei pelo menos três meninas, o povo caminhava. Claro, se cansaram na trilha, eu não!! Péssimo.
Mas é assim, sigo aprendendo, e acho que já melhorei. E também já sei que tenho que ser ainda melhor na subida se vou continuar sendo esse troço na descida. E é isso, essa já foi.
Sábado vai acontecer aqui em Blu um pequeno Aquathlon, estou super animada porque botei muita pilha na ABTRI (associação blumenauense de triathlon) para que isso saísse. Obrigada, Astério! Serão 500m de natação na piscina do SESI, e 4km de corrida na pista. Para quem nunca fez experimentar, para quem já faz treinar e ajudar o iniciante.
Nunca fiz, nem sei direito o que vai ser de mim quando sair da piscina, por isso a curta distância é perfeita para iniciar. É possível que eu pague um mico, mas pelo menos vai ser entre amigos...
Dia 21 tem Meia Maratona do Bela Vista, prova boa, asfalto, praticamente plana, organizada, premiação por categorias!! E junto a Prova de Inverno de 6km. Thanks Caixa Econômica pela inscrição cortesia!!
Hoje exagerei no post, sorry pessoal, é que a semana está dura no trabalho, e escrever aqui me relaxa também.
Então vamos treinar. 
Ah, sim, em agosto tem K42 de Bombinhas, que este ano vou fazer em dupla!! Realmente, some people have real problems...




 

Comentários

  1. Andrea, quanta notícia. Adorei!!
    Parabéns pelo seu mountain do. A organização do Kiko realmente é impecável. Todo mundo deveria fazer pelo menos uma prova da Sports Do para sentir a atenção com os atletas.
    Boa prova pra ti este final de semana. Estou na torcia, até debaixo d'água!!
    beijos
    Helena
    correndodebemcomavida.blogspot.com
    @Correndodebem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoa hiperativa, né? Foi muuuito legal, depois vou postar. E a tua, qual a próxima?

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!

O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Do que você está sentindo falta?