Exercicios e dietas

Queremos tudo. Eu, pelo menos, frequentemente chego a essa conclusão em relação a mim. Quero muita coisa: baixar meu tempo em provas de 10km, mas também ser um pouco melhor nas meias maratonas; aprender a descer uma trilha; fazer provas de aventura com menos medo; nadar bem; nadar bem no mar (não é a mesma coisa); aprender a pedalar (ja falei, só sei andar de bicicleta, e pedalar é outra coisa); fazer triathlon. Ufa.
É que eu acho que quem não quer muito, acaba é não indo atrás de quase nada. Quanto mais eu quero, mais eu consigo. Fato. O bom é inimigo do ótimo. Coisa de virginiana chata.
Enfim, eu também queria ser mais magra do que estou hoje (quem não quer?). Pois é, mas também quero ser forte, porque gosto mesmo é de correr provas curtas, e para prova curta precisa ter explosão, e para ter explosão, tem que estar com a musculatura forte.E o dr. Fábio Cardoso acha melhor estar forte para short triathlon. Siga o mestre.
Além disso, para ser magra, não adianta, tem que comer pouco. Tem quem pense que pode comer muito se também malhar e queimar muito. Não sei não...
Não é só escolher o que come, do tipo reeducação alimentar,  porque se fosse assim, sinceramente, eu já estaria mais magra. Tenho um misto de sorte com boa educação alimentar, de maneira que não sou fã de coisas mega calóricas em geral (não como batata frita e não gosto de mac donald's, por exemplo), não sou compulsiva (não preciso de uma caixa de bombons, um me basta), não tomo refrigerante há muitos anos, e não sinto falta...mas o que eu gosto, eu como. Não tanto quanto gostaria, mas como. 
Tenho intolerância à lactose, isso limita algumas escolhas, um probleminha na bílis...tudo tem que ser levado em conta.
Voltando à quantidade e qualidade, para emagrecer, o que tem funcionado de verdade, sem tomar remédio, é reduzir drasticamente os carboidratos, ingerindo maior quantidade de proteína. E, sem carboidratos, você fica com pouca energia para fazer exercícios pesados. Pelo menos eu fico. Fora as outras restrições da dieta relacionadas a vitaminas e minerais.
Em resumo, para emagrecer mais rápido, não dá para manter o treino como ele é planejado, porque voce simplesmente não consegue. E aí não se tem a mesma queima calórica. Não tenho nenhuma intenção de reduzir treino para poder comer bem pouquinho, não parece fazer sentido.
Que conta complicada!!! 
E claro que atleta tem fome. Eu não sinto aquela fome desesperada, mas não posso passar muito tempo sem comer, porque fico muuuuito estranha. Provavelmente mau-humorada.
Quem pratica atividade física regularmente, e de forma um pouco mais intensa, participa de provas, etc., precisa de uma alimentação que combine com isso, e mais, auxilie no desempenho e na recuperação. 
O que diz a minha nutricionista Nádia, que é linda e magra: não conte as calorias, analise os alimentos, coma o que te faz bem, melhora a imunidade, é antioxidante e antinflamatório, o resto é conseqüência.
Nas leituras das revistas especializadas, muuuitas informações. Até dieta paleolítica já vi! Como se o resto da vida da pessoa também fosse paleolítica...enfim. 
Na revista Contra Relógio deste mês tem uma reportagem interessante sobre comida e emagrecimento, falando justamente sobre a corrida motivada pela necessidade ou vontade de perder peso. A ideia é chegar em um ponto de consumo de oxigênio (que pode ser verificado em testes) em que a queima é de gordura, e não de carboidrato.
Na Runners (que este mês está ótima) a reportagem é sobre combinações adequadas para melhor absorção dos nutrientes. Muito do que está ali eu já sabia por estudos anteriores (porque sou metida), mas sempre se aprende.
Por exemplo, a absorção de ferro é favorecida pela ingestão de alimentos ricos em vitamina C concomitantemente, e inibida pela ingestão de alimentos ricos em cálcio. Na prática? estrogonofe não, carne ao molho de laranja, sim. Feijoada com laranja, na verdade, tem tudo a ver. E o clássico arroz, feijão e carne, com salada, são a refeição ideal.
Eu não sabia, mas zinco, super importante para sintese de proteinas e imunidade, combina com proteinas de origem animal, mas não com fibras. Incrivelmente, meu sanduíche de atum (zinco), nessa linha, deve ser feito no pão branco e não integral. Quem é que vai contar para a Nádia? 
Até aí, tudo bem. Mas tem umas coisas que não combinam  que são bem mais dificeis de evitar. No caso do ferro, também inibem a  sua absorção os alimentos com fibras e a proteína do ovo. E tem muita coisa com calcio alem de leite e derivados, como amêndoas, e a própria couve, que também está na lista dos alimentos com ferro. Deu nó no cérebro.
A mais legal é a do cálcio que não combina com cafeína...ah, ta, café com leite não pode. Mas aí fica dificil.
Pelo menos maçã não pode comer com semente de girassol. Eu não queria mesmo.
É bem interessante a reportagem, mas montar sozinho um cardápio com base naquilo é dificil.
Tem também a questão da dieta pelo índice glicêmico, que é bem inteligente, e antes de eu achar que seria uma viciadinha em corrida e afins, eu apliquei, e foi muito bom para a minha vida. Peso, disposição, pele, cabelo, unha, tudo melhora. Mas para quem é atleta, já não dá certo fazer tudo o que diz lá, também por causa das combinações.
Algo que uso até hoje e recomendo é comer uma proteína junto com um doce. Isso reduz o índice glicêmico do doce, e, com isso, demora mais para sentir fome novamente. Ja reparou que voce pode comer metade de uma nega maluca, e uma hora depois já está com fome? índice glicêmico. Se voce comer com um pedaço de queijo, como minha avó  fazia sem saber de nada disso, já será diferente. Quem fizer o teste me conta. Considerando que a nega maluca não contribui para a dieta...pelo menos vale como lanche completo. Mas também faço isso com fruta. Maçã  me dá fome, não adianta. Mas se eu comer maçã e tomar um iogurte, já e diferente.
Por fim, ainda na Runners, uma reportagem sobre a importância dos hormonios, e ao final, dicas alimentares para manter o equilíbrio hormonal. O resumo da ópera é que whey é bom, e zinco também. Açúcar péssimo, e gorduras, do bem, são importantíssimas para produção de testosterona. E a testosterona tem como função a absorção de proteínas e fortalecimento muscular.
Escolha sua linha e, se interessar, leia as reportagens completas. Vou postando outros assuntos abordados nas revistas deste mês.
Mas, antes de por em prática algo muito diferente,  procure um médico, endocrinologista ou do esporte, faça exames, e procure a nutricionista. E, principalmente, aprenda a se conhecer, e a prestar atenção nos sinais do corpo, para saber o que funciona melhor para voce. Não acredito em nada que digam que funciona para todo mundo da mesma maneira. 
E vamos em frente, porque domingo tem meia maratona do Bela Vista em Gaspar prova plana. Com boa alimentação e suplementação pré e pós prova!!







Comentários

  1. Oi, Andrea.
    Adorei a dica de combinar o açucar com a proteína. Não tinha me dado conta nisso. Apesar, que recentemente, tenho cuidado pra caramba na dieta alimentar. Substituições sandáveis no pronto e sorriso no rosto.
    Aproveito para desejar boa prova domingo. Sebo nas canelas, menina.
    beijos
    Helena
    correndodebemcomavida.blogspot.com
    @Correndodebem

    ResponderExcluir
  2. Nossa,lendo teu post me da a sensação de estar fazendo tudo certo e errado ao mesmo tempo, como é complicado esse calculo,correr bem,emagrecer,manter a forma etc.....de qualquer forma, temos que ter sempre a consciência de que alimentação e esporte são a combinação perfeita.....adorei as dicas, vou comprar as revistas hoje mesmo....nos vemos no Bela domingo, vou correr 6, pela aventure....grande beijo

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo Blog! Muito bom! E pra perder o medo de fazer trilhas e provas de aventura é simples: é só começar a fazer!! Sucesso!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!

O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Do que você está sentindo falta?