O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Como já ficou claro nos outros posts, a maratona é a formatura. Antes disso você tem um longo caminho. Só que, sinceramente, o caminho importa tanto ou mais do que o destino final, na minha opinião. É nessa jornada que a gente aprende e descobre mais sobre si mesmo, e é a preparação que nos permite vivenciar a maratona como deve ser, ou o mais próximo disso. Na preparação você conhece pessoas, compartilha dúvidas e ensinamentos, angústias...
Então, não poderia encerrar essa série (que deve finalizar o blog, ao menos por um tempo), sem compartilhar com vocês o que eu aprendi durante o período de treinos para a maratona, e como isso pode funcionar para o que não tem nada a ver com corrida.

1. Treinar para a maratona não é sinal verde para comer um kg de açaí no lanche, nem nega maluca (para quem prefere) todos os dias - na verdade, não há nenhum momento na vida de sinal verde para quantidade livre do que quer que seja, mesmo o que é considerado saudável. Fim. Mas no caso da maratona, a dieta é bem mais controlada, porque você tem que fazer as escolhas certas para o treino render, a recuperação acontecer, e na quantidade certa. Então, eventualmente sair da linha e pirar na batatinha (ou no pão de queijo, ou na farofa), ok, mas a regularidade da dieta vai ditar teu caminho. E o pensamento continua sendo: prefiro ser feliz por cinco minutos e depois ficar lamentando o petit gateau derramado e bem comido ou posso viver sem ele, comer uma paçoca diet e ser mais feliz quando alcançar meus objetivos e até comê-lo, mas de forma consciente? Cada um com sua resposta, mas não vale reclamar. 
2. O treino é composto de corrida, dieta e descanso. Em igual importância. Não adianta cumprir a planilha e dormir pouco, e comer e beber tudo errado. Não vai ser a mesma coisa. Acredite. 
3. Correr é a parte mais fácil do processo. A verdade é que combinar a tríade acima não é tão simples, porque realmente tem que se organizar para dormir o suficiente antes de um treino longo, e como não existem treinos efetivamente curtos (você larga para no mínimo 8km sempre), tem que dormir o suficiente quase sempre. E é fácil, porque a gente vive com sono. Correr é o divertido, é o que a gente quer fazer quando treina para maratona. Mas tem os suplementos, tem o pré treino, o pós, a hidratação, as roupas (que são lavadas muuuuitas vezes no período), tem família, tem as festas, tem trabalho...E isso se aplica para quem estuda para um concurso, por exemplo. Estudar é o básico. Só que você tem que se alimentar bem, tem que se hidratar, tem que dar aquela levantada para não ficar com a bunda quadrada, tem que trabalhar, muitas vezes. E passar a noite estudando, sinceramente, só vale a pena se você é uma pessoa que não tem sono (não é meu caso). No dia seguinte, é o bagaço, e trocar os turnos, a médio e longo prazo, é ruim para o cérebro, você não absorve o suficiente, assim como teu treino não rende se você estiver sempre de ressaca ou morto de cansaço;
4. Não existe treino curto ou treino longo demais, existe é uma planilha, um planejamento. Não inventa. Cumprir a planilha é importante, o treinador sabe das paradas, entende? Não se meta a acrescentar kms ao treino porque achou pouco, nem a ser o ligeirão no regenerativo, a conta vem depois. Quando a gente acha que tudo bem trabalhar 12, 14 horas por dia, por quanto tempo a gente vai sustentar isso e o trabalho ainda ter qualidade? e você ainda ter qualidade? Trace o plano, e siga o plano o máximo possível, é o que vai te manter no prumo. Os treinos visam uma prova que está a meses de distância, respeite isso. 
5. É mais fácil acordar cedíssimo para correr do que para trabalhar. Sorry. Eu achava que seria a treva acordar cedão para correr, mas o fato é que, tendo meta, você acorda, e o dia é tãããão melhor. O segredo é ter organização, sempre falo.  Disciplina é botar o despertador e ter a consciência de que é naquela hora ou não vai ter treino. Mas organização é deixar tudo pronto, arrumadinho, separadinho. Se vai pensar no short e no top e no tênis na hora que acorda, nem sai da cama, porque o cérebro não está em pleno funcionamento, então tem que ir no piloto automático. E trabalhar no piloto automático é muuuuito difícil para mim. Se eu corro antes, meu cérebro desperta e na hora de trabalhar já estou ligada. Mas isso é bem individual. E nem sempre possível. Tem quem não possa acordar ainda mais cedo para correr, porque já trabalha muito cedo ou por outros motivos, e tem quem prefira correr à noite, depois de tudo. Cuidado com auto sabotagem, ir para casa antes de treinar é uma armadilha, tem que ter ainda mais disciplina e força de vontade para não dar aquela descansadinha que emenda com o banho e o jantar. Sugiro, para essas pessoas, deixar também tudo separado, para quando acabar o expediente não ter trabalho algum, salvo o de ir correr. E tomar um pré treino logo, custa caro, a gente não quer desperdiçar.  
Me perguntam sobre acordar cedo para estudar, em casa, sozinha. Eu não consigo, por tudo o que falei: meu cérebro não capta informações antes de um certo horário. Em compensação, pelas nove da noite sou bem inteligente, em geral. Então, nem sempre o que funciona para o treino funciona para o resto. O que é ótimo, porque se eu tivesse o mesmo horário para tudo, não conseguiria compatibilizar, né?
6. Os dois primeiros km são SEMPRE os piores de um treino, seja ele de 6km, seja de 10km, seja de 30km. Impressionante. Depois flui, acredite. Não desista no primeiro nem no segundo, depois só melhora. Se não melhorou, então pense se é cansaço, algum problema real, dor muscular, ou só sem-vergonhice mesmo. Isso também se aplica para o resto, o início de uma palestra, de uma aula, de uma audiência...eu sigo a regra par: para algumas coisas, dois minutos, para outras, 20, para outras, 2 horas, e até dois dias (como em uma viagem). Dê tempo para você e para as atividades se ajustarem. 
7. Nem todo mundo emagrece treinando para a maratona, mesmo seguindo a dieta. São os mistérios da vida, meu povo. Os homens emagrecem mais, naquela injustiça absurda, mas muitas mulheres emagrecem também, especialmente se estavam bem acima do peso, pelo aumento do volume. No meu caso, depois de pouco tempo meu corpo teve uma adaptação incrível ao treinamento, vejam que ótimo!! Só que isso significou, além de pouco sofrimento, um platô total (paralisação na perda de peso), mantendo, felizmente, a massa magra. Queria estar mais leve na maratona. Mas não perdi nem um grama, sério. Porque tinha que repor, a dieta não é magrinha, e como eu sou lowcarb no geral, e tive que acrescentar mais carbo, meu corpo entendeu que eu era um urso armazenando para o inverno, sabe?
8. Você é capaz de muito mais do que imagina, e sim, fica cada vez mais fácil. O treinador manda a planilha por semana, ou no máximo por mês, não é porque ele não prepara. É porque, além do feedback (se você não cumpriu, ele tem que adaptar a do período seguinte), se você olhar que daqui a dois meses correrá 32km num sábado qualquer, vai rir. De desespero, e achar que é impossível. Só que não é, e a cada semana a gente se sente mais forte. Perceber que você é capaz de ir em frente é sensacional. E agora, quando me vejo diante de alguma situação que eu ache que não vou conseguir resolver ou superar, eu penso, sinceramente: eu treinei para uma maratona, fui lá e corri os 42km, e eu não sou um ser totalmente diferenciado, nem atleta de ponta. Então sim, eu consigo resolver isso. 
9. O corpo humano é uma máquina maravilhosa. Ele se adapta aos novos estímulos, então se você vai aumentando a carga, você simplesmente percebe o corpo se adaptar. Eu não achava possível correr forte dia seguinte ao treino de musculação. O primeiro foi dificil, o segundo menos, e depois acostumei, porque era o que tinha, ué. Meu corpo sinalizou a possibilidade, e os novos estímulos foram sendo devidamente incorporados. Realmente não dá para desistir logo dos seus projetos, as adversidades vêm e a gente passa por elas, mais forte do que nunca. 
10. O treino para a maratona pode ser um sacrifício, ou pode fazer parte de um propósito. Para mim, quanto mais eu percebia minha evolução, minha alegria de fim de treino, e que eu ia, sim realizar algo importante para o corredor que é correr uma maratona, menos eu me sentia "sacrificada", e mais vontade tinha. Esse negócio de "perder festa", não comer, não beber, querer que chegasse logo para "acabar com isso", isso tudo tem que ser administrado com a mente no foco. Quer ir na festa? Mas quer mesmo? Então vá, e adapte a planilha, você não é profissional, não vive disso, e tem vida normal. Quer "matar o treino"? Faça isso, de forma consciente, conte para o treinador, para ele recuperar isso depois. Eu sabia que tinha o tempo contadinho para os treinos. Não ir naquele momento era dar por perdido o treino, e eu não gosto nada disso...É puxado, sim, mas se você encarar como sacrifício o tempo todo, não vejo motivo para ir em frente. É para ser feliz o maior tempo possível, foi uma escolha, ninguém me obrigou a me inscrever (pelo contrário, não fui nada estimulada a isso na minha roda familiar). Se você resolve fazer seleção para o mestrado, não pode reclamar que vai ler os livros no final de semana porque não tem outro dia livre. Se vai reclamar o tempo todo, não vai prestar. Questione se é o que você quer fazer, e aí faça o que tem que ser feito no processo para alcançar isso. 
11. Objetivos a longo prazo não são meus favoritos, essa foi a parte difícil. Eu gosto de um pouco de pressão, trabalho melhor. A maratona estar laááááá longe, daqui a seis meses, me tiraria um pouco da disciplina e do foco, porque eu posso, teoricamente, "recuperar" isso depois, seja treino, seja sono, seja dieta. Na jornada de treinos para a maratona, eu fiz poucas provas de corrida, e para os meus padrões, pouquíssimas. Só que eu gosto de participar de provas, senti falta da adrenalina, de ver o pessoal em clima de prova. Fiz algumas meia maratonas, e no primeiro semestre ainda tinha como objetivo, de início, melhorar meus tempos na distância. E consegui, foi bom demais! Ainda bem, porque senão provavelmente acabaria um pouco frustrada, já que na maratona o objetivo era outro, e naturalmente perdi velocidade. A meia maratona é uma distância que me permite fazer algumas provas no ano e correr tanto de boa, quanto por tempo. Mas o que acontece é que se eu tenho prova no domingo, que seja de 10km, a semana inteira é mais regulada, de treino, sono e alimentação. E mesmo as refeições "livres" (porque não é lixo o que eu como), são mais contidas, porque tenho um objetivo próximo. 
Então, aprendi que, no meu caso, não preciso começar o ciclo para a maratona muito tempo antes (foi o que fiz, eu decidi correr a maratona em junho, com a prova final de setembro) porque sempre estou treinada para 21km, é dali para frente que pega, e isso me permite manter algumas provas de corrida no período, me deixando mais feliz e também com a sensação de empoderamento, que é o que cada medalha dá ao corredor. 
Engraçado que isso combina com o restante da minha vida. Não deixo tudo para exatamente o último minuto, mas gosto de ter um pouco de correria. Tenho aulas preparadas faz tempo para algumas matérias, mas sempre acrescento algo novo, mais recente, e algumas aulas são inteiramente inéditas. Simplesmente não consigo preparar com semanas de antecedência, a inspiração vem nos dias anteriores, no dia anterior...kkk. Para as audiências, não adianta nada ler os processos dias antes da sua realização, funciona mesmo ler cedinho antes de começarem, é quando fixa. Descubra como você é, a corrida pode te ajudar. 
12. Gosto mais do nascer do que do por do sol...nunca imaginei, porque sempre foi o por do sol que eu busquei, e o sol nascer era uma espera no retorno da vida noturna (faz tempo...), sem muita consciência do que esperar. Acordar e ser recepcionada pelo sol nascendo para a corrida, é algo muito especial. 
Beijos a todos, e descubram-se. 
Para chegar feliz assim...


Teve chegada assim (melhor do que o oriental ao lado kkk) com recorde...


teve outro recorde aqui, depois...
E teve isso...treino. Muito treino, com essa vista privilegiada. Depois desse treino provavelmente tomei vinho e comi alguma delícia, e fiquei ainda mais contente e esperando pelo próximo...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliações de Tênis - Saucony Kinvara 8

Avaliações de tênis - Rodagem: Comparação Freedom Iso - Saucony e 361ºKgM2

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!