Apetrechos para corrida

Eu digo que a corrida é fácil de praticar porque só precisa de um tênis. E de protetor solar. Mas com o tempo, realmente comecei a achar que precisava de mais umas "coisinhas"... É só dar uma olhada: tem o boné, tem o óculos, tem o relógio esquisito, tem coisas presas na minha cintura...e nem estou usando meias de compressão nem ouvindo música no ipod dessa vez.
Quando comecei, nem relógio eu usava, e como já falei, tentei o frequencímetro, mas não nos entendemos.
Quando corri a meia maratona de NY, só sabia o que já tinha percorrido pela marcação na prova, aliás, perfeita, como tudo lá. Muitas provas que eu fiz tinham apenas a marcação dos 5km, e algumas, nem isso!
Então descobri o gps...como é bom saber bem certinho a distância percorrida e o pace. Não sei usar nem metade de tudo o que o meu querido Garmin me oferece, mas ele me diz a quanto estou e o que já corri. Depois os dados são transferidos para o computador, e posso comparar cada quilômetro do treino, ver o pace médio, ai que brincadeira divertida!! Mas não é só isso, é ótimo para avaliar o treino e a prova, e com isso planejar os próximos.
Não gosto de prender o número na camiseta, nunca gostei. Me atrapalho com os alfinetes, fica torto, me incomoda (devo ser muito chata). Então minha amiga Danielle ultrawoman trouxe um porta número para mim. Maravilhoso, prende como um cinto, me deixou mais confortável. Tem também o porta chip, vou experimentar.
Nem sempre corro ouvindo música, depende da prova, do meu humor, da distância...Nas provas em trilhas e praias, apesar da tentação, prefiro não usar, porque quero ouvir os barulhos, os outros, sei lá. Mas tem gente que só se move com música, então beleza,  tem mp3 para todos os gostos, e tem que prender, ou usar o porta-ipod, iphone, etc. Se é para ouvir musica, prepare uma boa play-list, porque ficar procurando a música certa também atrapalha na hora da prova, e distrai. Música para cantar junto nem pensar, guardo para o banho.
Meia de compressão é ótimo, funciona. Mas dá um calorão, então no verão...difícil. A polaina (sim, o nome é polaina, mas não parece com a de balé), que cobre só parte da perna, e não o pé, tenho gostado. Não é que precise usar, mas dá conforto para as pernas, principalmente em treinos longos e de subida. E ajuda na recuperação. Não, não fica bonito.
As meias, para correr, devem ser confortaveis, especialmente no calcanhar e na parte dos dedos, mas os kits com três das marcas conhecidas está ótimo. tem gente que passa vaselina entre os dedos, eu descobri um gel protetor de bolhas e calos que estou gostando.
Gosto de boné, segura o suor e protege não apenas do sol, mas também da chuva nos olhos. Mas me recuso a comprar, fico esperando os que ganho nos kits.
Os óculos escuros são próprios para corrida. Percebi que fazem diferença. São mais confortáveis, não apertam atrás das orelhas, e as tais lentes polarizadas são sensacionais mesmo. São caros, mas eu comprei um modelo masculino da Oakley que posso usar na rua também.
Os tênis merecem um post especial, muita coisa legal para dizer. Mas o principal é que não te apertem. E sejam próprios para corrida. Não é frescura, usar o tênis errado dá lesão.
Mulher tem que usar top firme para os seios. Não costumo falar de marcas, mas acho os da Adidas os melhores.
Short de corrida é muito individual, tem que ir testando para ver o que gosta. Embora a maioria dos homens use short solto, conheço vários que preferem as bermudas de ciclismo, mais firmes e com bolsinho (e que valorizam beeem mais quem usa, na minha opinião.
Eu achava que tinha que usar os shorts de corrida larguinhos com forro embaixo, mas nunca achei confortáveis. Gosto mesmo é de compressão, então agora uso os mais justos. Mas se as suas coxas se encostam, tem que usar o justo com um solto por cima, senão dá assadura mesmo. Tudo para ficar confortável e não desviar a atenção do que interessa: a corrida.
Não consigo correr de calça, mas este ano vou tentar de novo no inverno, uma de compressão. Em NY passei muuuuito frio porque fui de short.
A saia é fofa para as meninas, mas confesso que nunca tive muito respeito por quem usava em prova, até ver minhas queridas amigas de Blumenau usando e se saindo muitíssimo bem, obrigada, e a primeira colocada da trail running (eu fui a segunda), com sua saia cinza...
E a hidratação...eu não confio em hidratação de prova.
Na trail running, subi a pior trilha que imaginei sem nem um copinho de água, porque confiei que teria no percurso. Então aprendi. Sempre tenho pelo menos a minha menor garrafinha, que coloco dentro da minha menor pochete, feita de neoprene, que fica bem grudada no corpo e não cabe mais nada dentro, mal e mal a chave do carro e um gel de carboidrato. Agora tenho um cinto de hidratação que não fica rodando na cintura, vou testar, parece ótimo.
Vejam bem, muitas coisitas...
Ainda tem protetor de nariz (nunca tentei), fitas, muitos outros apetrechos e acessórios. Tudo custa dinheiro, mas é investimento no desempenho, se isso realmente fizer voce se sentir mais confiante e perceber a diferença.
Mas, sinceramente, queniano não usa nada disso. Usa as pernas. Longas pernas, e muita vontade de vencer.


Comentários

  1. Então menciona a amiga que traz o porta número e a que trouxe o porta chip e a calça de compressao nem fala, né? Magoei!

    ResponderExcluir
  2. Show de bola Andrea. Ótimas dicas, simpels e direta.

    Lilian

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!

O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Do que você está sentindo falta?