Corri a meia-maratona de NY!

Era uma sexta-feira, e depois do almoço eu abri o site correr pelo mundo, que adoro, só para ficar me deliciando e desejando as provas que quero fazer em outros países. Normal. Então abri o link da meia maratona de NY, e era o último dia de inscrição para o sorteio de uma vaga. Sim, sorteio da vaga, porque as vagas são limitadas, e existem algumas maneiras de adquirir a sua: participar das outras provas da NYRunners, ter índice comprovado, contribuir para a caridade (são várias instituições inscritas), vagas garantidas por uma agência de turismo cadastrada (eu não sabia, na época), e...sorteio das vagas remanescentes.
Nâo sei se era muita vontade, se foi a taça de vinho do almoço, mas me inscrevi para o sorteio. Voce paga uma taxa, que é abatida depois do valor da inscrição se for sorteada, e espera. E foi  que eu fiz, achando tudo muito divertido. Sim, porque nunca pensei que fosse ser sorteada.
Mas fui. Demorou mais de um mês para o sorteio, e eles não divulgam a data exata. Eu até tinha parado de pensar no assunto, e recebi o email: Congratulations!!
Eu nunca tinha corrido meia maratona. Já tinha entrado no mundo das provas de 10km com tranquilidade quanto à distância, mas acho que meu maior treino tinha sido de 12km, tido como longão até aquele momento. E para dizer a verdade, nunca tive muita vontade de correr 21km. Mas NY...
Eu adoro a cidade, adoro ir para lá, adoro tudo lá. Então correr lá tem, sim, tudo a ver comigo.
Só faltava treinar...hahaha.
Avisei ao meu treinador, e ele montou a planilha, porque eu tinha aproximadamente três meses para ficar pronta.
Era um treino bem mais pesado do que eu estava acostumada, e comecei em dezembro, quando todo mundo está reduzindo ritmo.
Corri dia 24 de dezembro, corri dia 31 de dezembro (com muitas buzinas passando por mim), corri o verão todo, corri no carnaval, segui à risca. Segui também as orientações da nutricionista, mais caxias do que nunca. É que já que era para ir, também não queria passar vergonha. Meu maior longo foi de 18km, que terminei me sentindo bem.
Comecei pensando em terminar a prova como objetivo. Mas na inscrição tem que dizer em quanto tempo pretende terminar, por causa do local da largada, e coloquei menos de duas horas. Então essa era a meta.
Acho a vida de "maraturista" maravilhosa, viajar para correr, correr para viajar...sonho!!
O pior era treinar no calorão de janeiro e fevereiro (em Blumenau, inclusive), sabendo que a prova seria no frio.
Marquei a viagem para sexta-feira anterior à corrida (que foi em um domingo), o que foi ótimo, porque pude descansar antes (programas mais calmos), e depois da corrida fiquei uma semana, só alegria. Recomendo.
Nas duas noites anteriores, macarrão com molho vermelho, e com cuidado para não comer nada muito diferente, passar mal do estômago estava fora de cogitação.
Meu bebê na época com pouco mais de um ano, ficou em Blumenau, com  minha amiga-irmã Simone. Não era nem lugar nem clima para ele ir, ninguém ia aproveitar direito, e era só uma semana, ele ficou super bem, melhor do que eu sem ele. Marido foi junto, e foi fundamental o apoio dele, logístico e emocional, porque no final a gente quer muito abraçar alguém que ama.
A prova é muito bem organizada, desde a retirada do kit. A fila funciona, está tudo em ordem, conforme o número de inscrição, e eles colocam em voce a pulseirinha de identificação, para ter certeza de que é voce que vai correr, e a cor define o seu "curral". Sim, é esse o nome, é daquelas largadas por pace. Se voce não chegar até determinado horário no dia da prova, larga com os mais lentos no final.
Na retirada do kit tem uma feira de artigos esportivos, o preço é ótimo, vale muito a pena. Comprei meu garmin mais barato, e muito gel de carboidrato (gostosos, nunca mais achei...).
No sábado, fiz o percurso do hotel até a largada, para ver o tempo que levava, considerando andar até a estação de metrô, caminhada até o local propriamente dito, tinha que pensar em tudo.
Separei a roupa para correr, tudo já conhecido (não se estreia roupa nem calçado em dia de prova): short (porque não gosto de correr de calça), top, manguito (de lã, emprestado do treinador), camiseta, meia de compressão, meia, casaco. Todo mundo me dizia para levar um casaco velho porque durante a prova tira e eles recolhem e levam para abrigos. Então tá.
No domingo, acordei cedão, tinha comprado coisas para tomar de café da manhã (o mais próximo do que a nutri mandou), e lá fomos eu e meu marido. Achei melhor ir também de luvas, uma faixa na cabela para esquentar as orelhas, e o boné. Sim, inspetora bugiganga total. E o casacão por cima. Sim, muuuito frio. Dois graus. Positivos, oba!
Tem guarda-volumes, deixei o casacão e a calça que estava por cima lá. Mas levei e deixei junto uma muda de roupa, completa, inclusive meias, para depois da prova, porque não sabia como estaria, e quanto tempo levaria para voltar ao hotel. Melhor prevenir.
Eles controlam para ver se voce vai para o curral certo, tem banheiro químico (muita vontade por causa do frio), e a largada é no horário. Para o pelotão quenia lá na frente, para os mortais leva uns dez minutos. Tudo bem, a gente fica ali, todo mundo juntinho...15.000 pessoas correndo.
O frio era grande mesmo. Não tirei o casaco, não consegui. Nem dobrei o manguito. Só tirei as luvas, e ainda assim porque não conseguia abrir o gel de carboidrato. Levei dois quilômetros para começar a sentir minhas pernas. Mas não estava muito preocupada. Dei a maior sorte, deu sol, o dia estava lindo. No dia seguinte choveu, e depois nevou!!!
O percurso é maravilhoso, Central Park, sai  de lá (já comecei a chorar ali) e vai até o Times Square (mais choro), segue até a avenida que margeia o Rio Hudson e de lá seguia até o Battery Park, este ano mudou para o Seaport. Durante o percurso, bandas, cantores, DJs, até escola de samba tinha. A organização recomenda enfaticamente que não use fones de ouvido, e nem precisa mesmo.
A hidratação existe de verdade, copos abertos, e tem isotônico em alguns pontos, e gel em um deles. Segui o roteiro de hidratação e gel da nutricionista, e me senti bem a prova toda.
Correr no frio é totalmente diferente, porque voce não sente que está suando, até parece que não está, cansa menos, gostei.
Eu nem sou muito fã dos americanos, mas tive que reconhecer como eles valorizam essas provas. Muita gente nas ruas, incentivando, "go, runners", é muito legal.
Eu ainda não tinha gps, então ia confiando na marcação da prova, em milhas, enrolado para mim, mas eu tinha muita noção do tempo por quilômetro, e sabia que estava indo bem.
A chegada é algo à parte, voce vê o portal e tudo se transforma, e quando passa é indescritível. Sim, chorei muito (claro), aquela sensação de missão cumprida.
Recebi medalha, uma capa térmica, kit com água, maçã, e um biscoitinho, e aí percebe que, na verdade, suou. E o suor esfria, e a pessoa gela. Não havia o que passasse meu frio. Então troquei a roupa completa, casacão, e fui tomar um café bem quente, aí esquentou.
Foi uma das experiências mais legais que já tive, digo que foi uma das coisas mais sensacionais que já fiz. Comprei as fotos oficiais, vale muito a pena. A da minha apresentação no perfil do blog é de lá. Nao é linda, mas representa um momento muito importante na minha vida de corredora.
Passei a semana toda com a pulseirinha, porque várias lojas e restaurantes dão descontos para os corredores. Além disso, criei apego, não queria tirar. Depois do café, fomos procurar um lugar para o brunch de domingo, comemorando com "mimosa", bebida de espumante e suco de laranja, delícia.
Mas confesso, não adorei correr 21km. Continuo preferindo provas menores, até porque não tenho tempo para treinar direto para meia maratona. Pareço metida, mas só pretendo correr meia maratona quando for uma prova especial, que para mim significa fora do país, porque aí vale o empenho (para viajar e para correr). Claro que voltei pensando na de Paris, de Berlim, todas as grandes, mas isso vai ser mais para frente.
Ah, sim, terminei a prova em 1h56min23seg, honroso 4291 lugar. Primeira terça parte dos corredores. 1547 entre as mulheres, e 203 na faixa etária. Feliz demais!








Comentários

  1. Só quem viveu sabe a emoção que é!!! Awesome!!!

    ResponderExcluir
  2. Com certeza ainda vou viver isso! Estou aguardando dicas para iniciantes, tipo animo para correr no frio, na chuva, roupas, etc... To amando. Bjos. Raquel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avaliação do Nike Odissey React - guest post by Simone Andriani!!

O que eu aprendi treinando para uma maratona - para a corrida e para a vida

Do que você está sentindo falta?